Islândia???

Islândia??? O que você vai fazer lá?”. Foi a pergunta mais freqüente quando revelei os planos de visitar a ilha Viking. Tudo começou depois que vi fotos de uma amiga e este vídeo para promover o turismo  lá:

Começo neste post dizendo o motivo de ter ido para lá, e, termino esta Saga com as razões para querer voltar.

  1. Introdução e planejamento
  2. Reykjavík e Blue Lagoon
  3. Golden Circle (Geysir, Gullfoss, e Þingvellir)
  4. Norte (Mývatn, Krafla, e Dettifoss) e Eastfjords
  5. Sul (Jökulsárlón, Vík, Skógafoss)
  6. Razões para voltar

Introdução:

Foi na Islândia o primeiro parlamento nacional do mundo, o Alþingi, que data de 930. O País passou por um período longo de dominação Dinamarquesa e Norueguesa (1262 – 1918), mas ainda assim o país conseguiu manter sua identidade cultura e lingüística. Mais recentemente a crise financeira que devastou o setor bancário do país desde 2008, desvalorizou a Coroa Islandesa (ISK) em mais de 50%, deixando um pouco mais acessível. Mas ainda assim, a Islândia não é um país barato e importa muitos dos produtos que consome.

Björk é hoje em dia a maior celebridade da Islândia, que também conta com Guðjohnsen, jogador de futebol que já foi do Barça. Como em todos países nórdicos, as pessoas gostam de se vestir em estilo e o design é notório em quase todos os locais.

Reykjavík é a capital e maior cidade da ilha com cerca de 120 mil pessoas (o país todo tem cerca de 320 mil) e é a capital mais setentrional do mundo. Nos fins de semana as coisas esquentam e os Islandeses saem para o Rúntur (Pub Crawl em Reykjavík) até altas horas.

Outro grande motivo para visitar a Islândia é para ver a Aurora Boreal. Difícil dizer qual é o melhor lugar para ver este espetáculo, porém a Islândia tem atividades e atrações suficientes que podem preencher os dias no caso de não haver atividade suficiente (ou o céu estar encoberto) para a Aurora ser observada.

É possível também observar Puffins (papagaios-do-mar em português), baleias, raposas árticas, renas, ovelhas, os belíssimos cavalos Islândeses, entre outros. Muitos destes animais e aves fazem parte da culinária Islandesa. Pessoalmente eu virei fã do Skyr (que apesar de tecnicamente ser um queijo parece muito com yogurt) e do Artic Char, um peixe delicioso.

Esta ilha vulcânica está sendo partida ao meio entre as placas tectônicas Norte Americana e Eurasiática. Esta posição, faz com que a atividade vulcânica seja intensa podendo-se observar túneis de lava, crateras de vulcões extintos, ou até mesmo em erupção. Recentemente o que acordou para deixar sua marca no transporte aéreo europeu, foi o impronunciável Eyjafjallajökull. O contraste entre vulcões e glaciares é gritante, o que deixa as paisagens ainda mais interessantes.

Planejamento:

Após receber um telefonema de um amigo que queria conhecer algo distinto, resolvemos ir para a terra Viking no final do inverno. Diferentemente do que a maioria das pessoas pensam as temperaturas no inverno na Islândia não são tão rigorosas como as de Chicago, por exemplo, mas devido à neve acumulada, muitos acessos ficam restritos e desafiadores. A idéia era fazer a ring road que é a rodovia que circunda a ilha e tem cerca de 1300Km, passando por pontos de interesse ao redor dela:

Com 5 dias inteiros, sabíamos que não seria possível conhecer toda a ilha, mas conseguiríamos ter uma boa idéia. O que não sabíamos, apesar de toda pesquisa que fizemos (Lonely Planet Iceland e Eyewitness Travel Top 10 Iceland foram nossas principais fontes de informação), é com o que estávamos para nos deparar em termos de beleza das paisagens. A Islândia faz parte da área Schengen, o que atualmente dispensa brasileiros de visto para o turismo de até 90 dias.

Voamos de Nova Iorque para Keflavík (aeroporto internacional próximo a Reykjavík) com a Icelandair, um vôo espartano (servem gratuitamente apenas refrigerantes e snacks como vôos internos nos EUA), mas que para apenas 5:30 foi super tranqüilo. Alugamos um 4×4 na Dollar (na época o melhor preço), que ficava ao lado do aeroporto.

Utilizamos o www.booking.com para encontrar a base em Reykjavík, e, acabamos optando pelo Reykjavik4You Apartments, que na época não tinha tantos “reviews”  no tripadvisor mas posso atestar que é nota 100! O apartamentos que usamos era grande, novo, limpo, a decoração de bom gosto, em frente à uma ótima padaria, estacionamento, e localizado no coração de Reykjavík. Para complementar, tinha internet incluída (um disposítivo que se ligava na rede elétrica que depois descobrimos que funcionava no país todo), e um celular local com um saldo de aproximadamente EUR5!

A dica de ouro é na chegada já comprar no free shop do aeroporto bebidas (vinhos e cervejas), tirando os bares e clubs onde os preços são bem salgados, na Islândia bebidas alcoólicas são vendidas nas Vínbúðin. Na época encontramos umas super barbadas, como um bom Brunello de Montalcino por EUR15, mas a vodka Reyka é que vale mesmo a pena (se beber não dirija!).

Dirigir na Islândia:

As estradas são geralmente boas, mas o limite de velocidade é baixo. Respeite, pois as multas na Islândia (e outros países Nórdicos) são pesadas. Também é importante notar que no inverno as estradas podem ficar cheias de neve e principalmente nos trechos mais distantes de Reykjavík é importante ter muita atenção e prudência, pois a neve pode causar surpresas desagradáveis. E deixe o copiloto com a câmera sempre preparada, pois paisagens não faltarão:

Veja mais informações aqui e aqui.

Anúncios

45 respostas em “Islândia???

  1. Ola, estou adorando o blog, que conheci atraves do VnV…. Gostaria de saber de onde partiu seu voo para a islandia e, se possivel, faixa de preco! Este destino entrou na minha lista gracas aos seus posts e ao videozinho, que realmente e muito divertido!obrigada!

    • Olá Manuela. Obrigado! O vídeo é realmente divertido.

      Voamos com a Icelandair de Nova Iorque para Keflavik (aeroporto internacional) e na época ficou cerca de $500. No verão há mais voos, mas em geral são mais caros, e pelo que pesquisei é dificíl conseguir por milhas. Também é possível pela Europa (Londres, Frankfurt, etc). Definitivamente não é um destino fácil de ir do Brasil.

  2. Olá! Estamos voando para a Islandia dia 25/04, faremos um detour de 5 dias para Groelandia e voltamos para uma semana na Ilha Viking. Vocês conseguiram fazer toda a volta a ilha, conhecendo “tudo” (mesmo que rápido) em 5 dias? Indica repetir a dose ou cortaria algum lugar? Beijos! Ana

    • Tudo não dá em 5 dias, nos faltou os West Fjords, Snaefellsjökull NP, Vatnajökull NP e Landmannalaugar. Foram 5 dias MUITO intensos.

      Em uma semana, tirando os West Fjords, acredito que vocês consigam passar pelos highlights, principalmente pelas estradas estarem nesta época já menos coberta de neve e os dias mais longos. Eu não cortaria nada, mas deixaria para ficar um dia completo em Jökulsárlón / Vatnajökull (vou escrever no final de semana sobre esta parte).

      • Vou imprimir seus posts e usá-los como guias! rsrs! Obrigada pelas dicas e vamos ver o que conseguimos incluir na nossa empreitada.
        Abs!
        Ana

      • Boa viagem. Se forem dar a volta na ilha recomendo em pelo menos 4 dias (sem contar Reykjavik e o Golden circle), mas mesmo que nao vejam “tudo” tenho certeza que irao adorar.

  3. Adorei as suas dicas.Gostaria de sua ajuda sobre a Ice Tourism é uma operadora de Portugal e tem um roteiro ótimo. Vc conhece?Estou querendo ir entre maio e junho.
    Obrigada pelas dicas.

    • Olá Silvana. Olha eu sou daquelas pessoas a favor de “desempacotar” ou seja, viajar independente de excursões, pois posso ver as coisas no meu tempo (e minha co-pilota também gosta disto). Porém entendo que algumas pessoas não se sintam confortáveis com este estilo de viajar.

      A Islândia é super tranquila de ir desempacotada, e apesar de sair um pouco mais caro acho que compensa por você poder ir em cantos que vai descobrindo durante a viagem, o que eu e meu amigo Dr. fizemos nesta viagem. Fomos com alguns destinos em mente mas mudando de rumo conforme o clima, a vontade, dicas locais.

      Porém, se você se sente desconfortável (por não ter “Inglês turista”, pos não gostar de dirigir em terras estrangeiras, ou qualquer outro motivo), procure saber no tripadvisor, google, etc, se esta operadora é boa. Não a conheço assim fica difícil de opinar.

      Finalmente maio e junho parecem ser meses excelentes para visitar a Islândia (eu diria que todos são)!

      Se precisar de mais alguma info, avisa!

      Boas viagens!

      • Bom dia, já fiz vários passeios desempacotada, por favor me oriente se eu for aqui do Brasil e comprar os passeios na Islãndia se não haverá problema, pois te digo que dirigir por lá me falta segurança.
        Obrigada.
        silvana.

      • Silvana, acredito que não terá problema. Nesta viagem nós contratamos um serviço (porém privativo) para visitar a Dettifoss e contratamos de última hora, mas estávamos na baixa temporada.

        Mas prepara seu bolso, pois imagino que deve ser caro.

        E vai despreocupada, os Islandeses são dos povos mais civilizados que há.

  4. por favor,gostaria de saber se todos estes locais que foi passado,é muito longe um do outro?estou pensando em alugar um carro e tb quero saber se abrirl seria um mes interessante pra ver umas dessas atividades ”naturais” que ocorrem lá?.mto obrigado

    • Olá Cauê, tudo bem?

      Como escrevi acima a Ring Road tem 1300Km, ou seja, para rodar a ilha é isso que no mínimo terá que percorrer.

      Nos relatos de cada uma das regiões eu deixei detalhado o quando rodamos em Km, dá uma olhada com mais calma. Mas basicamente usamos 3 para rodar a ilha (cerca de 400Km por dia) 1 para Reykjavik e 1 para o Golden Circle, foi bem puxado, mas a idéia era mesmo de uma “road trip”. Com 2 a mais acredito que ficaria mais redonda esta viagem.

      Abraço

    • Oi Flávia

      Pela nossa experiência eu diria que um Focos faria quase tudo no verão a não ser que vcs arriscassem – não recomendo – algo nos glaciares ou estradas na parte central (montanhas). Mas em geral, imagino que esteja bem tranquilo, pergunte para os locais que não terá problemas, e, se for arriscar algo mais radical tenha um celular combateria em mãos!

      Boa viagem!

      • Obrigada pela dica. A ideia é fazer só a ring road mesmo, até porque só tenho sete dias. Só mais uma perguntinha. Precisa de carteira internacional ou só a do Brasil serve?

      • Acredito que somente a CNH é suficiente, mas eu sempre apresento as duas, e, sempre ignoram a PIDE (internacional). Mesmo assim prefiro ter as duas pois já ouvi relatos de gente que teve problema com a polícia (relatos gerais, não na Islândia) por não estar com a internacional.

  5. Olá amigos tudo bem? Estou planejando de ir a Islândia em setembro e através da web achei este blog. Muito bom os textos e detalhes que vocês nos passam! Parabéns, show de bola mesmo! Pretendo ir a Islândia e ficar por lá de 7 a 10 dias. Na verdade minha ideia inicial eram 5 dias e mais 5 dias em outra capital nórdica, mas como é muito caro e quero muito visitar a Islândia, ficarei apenas neste país mesmo. Queria só tirar uma dúvida com vocês. Pretendo conhecer algumas cidades através da rodovia principal do país, mas eu não gosto de dirigir. Vocês sabem se fazer este trajeto de ônibus comum (igual aos nossos rodoviários) sai caro? Achei pouca informação sobre isso. Bom obrigado pela atenção e parabéns pelo blog! Abraços

  6. Olá viajantes! Muito interessante todas as postagens. Dá para ter uma boa base do que podemos fazer. Alguém saberia me informar se em setembro o clima fica propício para se apreciar Aurora boreal! Tenho muuuuuita vontade de contemplar esta beleza. Encontraremos nossos filhos em Dublin, e de lá para Islândia, alguém indica um Hotel bom e barato. Teremos 4 dias para ficar por lá, qual lugar seria mais interessante para conhecermos?

    • Samara. Historicamente o pico da Aurora acontece em Setembro e Março, ou seja, estatisticamente você pode dar sorte. Porém, lembre-se que há outras condições para o fenômeno ser visível, eu comento sobre isto no último post da série.

      4 dias? Recomendo ficar mesmo na Capital. Conheça Reykjavík, o Golden Circle, vá a Blue Lagoon e se tiver tempo Vík e Skógafoss. Recomendo que ficem em Reyk mesmo e aproveite “day trips” para estes lugares e à noite tente caçar a Aurora com alguma excursão ou de forma independente. Se você tem smartphone android este app é muito bom:
      https://play.google.com/store/apps/details?id=com.eaglesorbit.auroraalert&hl=en

  7. Aquele video de promoção turistica da Islandia é terrivel! Depois que eu o vi tambem fiquei ocm vontade de ir … e, depois que assisti o filme “A VIda Secreta de Walter Mitty” não teve mais jeito: ele tambem foi filmado la!

  8. Olá, tudo bem? Do pouco que já li do seu blog, Parabéns!!!! Estou começando a sonhar esta viagem e já colocá-la no papel. Estou pensado em fazer a road ring, assim como vocês fizeram. E tenho uma pergunta, vocês fizeram as reservas dos hotéis ou hostes antes de saírem ou é fácil chegar em algum local e hospedar-se pela noite? Grato desde já pela atenção.

    • Obrigado Regis! Infelizmente estou o tempo está curto para blogar mais.

      Fomos em Março, baixa temporada, assim tinhamos um apartamento reservado para Reykjavik e o resto conseguimos na chegada sem nenhum problema. No verão no entanto recomendo reservas. Saindo da capital, são basicamente cidadelas e vilarejos com poucas opções de hospedagem.

      Boa viagem!

      • Muito obrigado! Qualquer outra duvida ou curiosidade recorrerei novamente. Rsrsrs
        Mais uma vez parabéns!!! A cada trecho que leio eu fico mais fascinado!

  9. Ola!!

    Estou pensando em passar la no final de fevereiro, as condiçoes que eu pegarei seriam parecidas com as que você pegou né?

    Sua viagem durou quanto tempo?? Mudaria alguma coisa se voltasse na mesma época (perderia mais tempo em algum lugar ou passaria mais rápido por outro)??

    Agradeço desde já

    • Olá Simas

      Creio que sim, dado que estive lá no início de Março, mas não posso garantir.

      Conforme está descrito acima, ficamos infelizmente somente 5 dias, se pudesse ficaria pelo menos 7, idealmente 10 para poder apreciar os Fjords e Jökulsárlón com mais calma e ver a Aurora Boreal (ainda está na minha “bucket list”), mas é assim mesmo tempo é o nosso recurso mais limitado. No Item 6 relato também algumas razões para voltar à Islândia, lá você pode ter uma idéia do que faltou na minha opinião.

    • Quanto mais para o final de Junho, mais caro fica pois coincide com o período de férias escolares de verão do hemisfério norte. Início de Junho ainda é capaz de pegar meia temporada com preços melhores e atrações não tão cheias. Ambos meses são mais caros do que o período que eu fui, pois já são meses de verão com muitas horas de sol. Eu tentaria ir antes do início das

  10. Olá! Você viu algo de matança de baleia ou sentiu um clima estranho sobre isso? Quero muito ir pra Islândia, mas tô com muito medo de ver algo do tipo…

      • Obrigada pelo retorno! É que olhando em sites oficiais, vi falando desta questão sustentável, porém, partindo para sites de protetores ambientais, dizem que a média de matança é bem alta, apesar de ter sido comprovado que o consumo desta carne pelos nativos já não justifica mais a caça, que ela é influenciada mais por uma questão cultural, inclusive utilizando arpão. Ouve-se de tudo, por isso quis tirar essa dúvida. Falei com um amigo que foi pra lá e também disse que não viu nada, então estou mais confortável, vou comprar minha passagem hoje! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s