Las Terrenas, República Dominicana

Hoje a República Dominicana é dos locais mais procurados por brasileiros no Caribe, sendo Punta Cana o principal destino. Fomos convidados para as bodas de um casal de grandes amigos que foi em Las Terrenas. A noiva é dominicana e sempre havia nos dito como ela acha que Las Terrenas é o local com algumas das melhores praias do país e que ainda não são tão cheias como as de Punta Cana.

Las Terrenas está na parte norte da península de Samana e tecnicamente é banhada pelo Oceano Atlântico. De Santo Domingo até a região leva-se cerca de duas horas dirigindo. As estradas são boas e há 4 pedágios antes de chegar na região, 3 na rodovia de número 7 e 1 na que liga a 5 a Las Terranas. Pelo que entendi é possível ir por Sánchez e não pagar este último pedágio, mas como tínhamos apenas 3 dias fomos pelo que era teoricamente mais rápido. Não aceitam cartões nem dólares americanos para os pedágios, é necessários Pesos Dominicanos. Cuidado neste ultimo pedágio, se quiserem já cobrar a volta, mas não aceite, pois os tickets expiram logo, é melhor pagar por trecho.

Ficamos hospedados no Grand Bahia Principe El Portillo, pela proximidade do local onde foi o cerimônia. Ele é um Resort All Inclusive e conseguimos uma tarifa de $180 por noite para 2 pessoas em uma Júnior Suite. Hotel padrão três estrelas e meia (meio que Holiday Inn) que não chamou muito a atenção, quarto espaçoso com banheiros ok. O frigobar era reposto uma vez ao dia com refrigerantes, água e 2 cervejas. Não gostamos da comida do buffet – achamos mesmo sem muito sabor – e principalmente nos cafés da manhã não gostamos do clima quase que de “guerra” nas filas. Fomos uma noite ao restaurante Orquídea (Le Gourmet) e foi um desastre, não tinham o vinho branco que pedi (pagava-se extra), demoraram para voltar dizendo que não havia, pedi outro que estava em temperatura ambiente, e nisso metade da comida já havia chegado. Alguns pratos vieram muito salgados, outros sem sal nenhum, e mesmo a sobremesa estava bem sem graça. Porém as resenhas no tripadvisor são geralmente favoráveis, talvez somos “ponto fora da curva”.

Nos bares servem a cerveja Presidente que parece com as cervejas brasileiras refrescantes, que combina com praia mas não é meu gosto pessoal (sou mais as ceverjas encorpadas, tipo Ale), alem de alguns drinks. Eu foquei na Cuba Libre (com diet pepsi) e no rum com gelo, eles servem rum Brugal que e’ algo local.

A praia é espetacularmente linda, com águas muito tranquilas devido aos corais e pedras que formam os “olhos d’água”. As espreguiçadeiras eram bem simples e de plástico e o esquema de reservá-las começava já logo cedo, algo que não apreciamos nada, pois vimos que muitos chegaram bem mais tarde.

A melhor parte esta no canto esquerdo do resort, próximo ao Snack Bar, mas a ponta onde praticam kite surf e’ onde esta o filet da praia local!

O pôr-do-sol em Las Terrenas nos surpreendeu:

 

Playa Cosón

Com o tempo limitado que tínhamos tiramos um dia para ir conhecer a Playa Cosón que havia sido indicada pela noiva aos convidados. Lá chegando, vimos uma praia paradisíaca somente para nós:

A praia tem areias extensas da cor do açúcar. Heim? Alguém perguntaria. Sim açúcar mascavo :D.

É uma praia ótima para descansar sem ser atrapalhado por ninguém, e para deixar as coisas ainda melhores, há um coqueiro que é daqueles de filme, perfeito, fazendo uma sombra para os sortudos (NÓS naquele dia) que puderem aproveitar:

Playa Cosón

Depois de algum tempo, apareceram algumas crianças que começaram a conversar conosco. O Carlito e o Orlandito viviam em um povoado que eles chamaram de “El Puente” e estavam na região pois um irmão é caseiro em uma das casas e eles estavam tentando conseguir as “cotas” para a escola. Disseram que as cotas custavam 25 pesos cada ($0.6 ou R$1.4 à época) e que o Carlito precisava de 3 pois estava no terceiro ano e o Orlandito 5, pois estava no quinto. Ficamos um pouco perdidos e continuamos a conversar e eles a brincar na praia.

Já estávamos decididos que iríamos ajudar, mas como sempre fazemos, não iríamos dar dinheiro para eles. Pedimos para eles chamarem o irmão mais velho que nos explicou que as cotas se compravam nas lojas, mas ainda estávamos meio confusos. Mas falamos para eles que iríamos levá-los até o centro de Las Terrenas e compraríamos as cotas para eles. Chegando lá descobrimos que as cotas eram cadernos! Eles não haviam conseguido comprar os cadernos para o próximo ano letivo. Compramos cotas (cadernos), lápis, sacapuntas (apontador) e uma mochilinha para cada, tudo por $16! Levamos eles de volta para Cosón e nos despedimos, recebendo cada um de nós abraços carinhosos das crianças. Mas antes de ir eu disse: “Oiganme. Tienem que estudiar, es como van a conseguir un buen trabajo”, e disseram que irão estudar bastante.

Sabemos que algo isolado assim não irá mudar a vida deles, pois é muito provável que no próximo ano tenham dificuldades novamente. Para que esta situação mude – em qualquer país – é necessário haver um acompanhamento destas crianças com suporte profissional. Eu pessoalmente acredito que educação é a principal arma contra a pobreza e o melhor instrumento de igualdade social e ajudo o Vittana na nesta missão, mas está na hora de encontrar uma ONG para o ensino fundamental, sugestões serão bem vindas.

Las Terrenas

De lá seguimos para o Pueblo de los Pescadores em Las Terrenas, onde almoçamos no Mojitos. Lá constatamos que agora iríamos durante a viagem pensar em quantas “cuotas” valia tudo, mas também constatamos que o comida do nosso All-inclusive era bem abaixo dos padrões dos restaurantes locais. Comemos um camarões deliciosos tomando Mojitos muito bem preparados, com esta praia à nossa frente:

Las Terrenas

Depois do almoço, conseguimos umas espreguiçadeiras do restaurante onde tiramos um cochilo para depois aproveitar um pouco mais a praia. No canto direito dela, há umas piscinas naturais muito boas e uma baía ótima, além de uns coqueiros que fazem umas ótimas sombras.

Las TerrenasLas Terrenas

Las Terrenas é realmente um lugar lindo. Porém da numa próxima viagem para a região, muito provavelmente não ficaríamos em um All-inclusive. Uma opção que pareceu muito mais charmosa (porém também mais cara) seria o hotel Balcones del Atlântico, onde foi o casamento. Aproveitariamos para comer em outros restaurantes do Pueblo de los Pescadores e claro conhecer outros lugares da Península de Samaná como Santa Bárbara de SamanáCayo Levantado e Las Galeras.

Quer saber mais sobre a região? Dá uma olhada aqui no post da Carmen que tem um especial no VnV.

Anúncios

4 respostas em “Las Terrenas, República Dominicana

  1. Oi, as fotos são para babar!!!
    Quando fui para Samana, a minha intenção era de conhecer e visitar Samana e Las Terrenas após abordagem tens, mas quando vi que as estradas eram ruins e à grande distância deixá-lo para outra altura. Deixei os Terrenas para ir outra vez. Agora eu vejo essas belas fotos de Las Terrenas não posso esperar.

  2. Amei o post!
    Estou indo passar o Natal na república dominicana com minha família (4 dias em Punta Cana, 3 em Santo Domingo e 3 em las terrenas. E foram as melhores e mais preciosas informações que vi até agora! Obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s