Tailândia, Singapura, Kuala Lumpur e Siem Reap

A Tailândia já estava no nosso radar desde 2009, mas por vários motivos – o principal deles o tempo longo necessário para visitar um lugar tão distante e com tantos atrativos – não havíamos até então conseguido realizar esta viagem. Neste post falarei sobre o planejamento geral e nos próximos sobre a experiência em cada um dos lugares:

1) Planejamento

2) Bangkok

3) Day-trips desde Bangkok

4) Sukhothai

5) Chiang Mai

6) Um dia na Patara Elephant Farm

7) Ao Nang

8) Singapura

9) Kuala Lumpur

10) Siem Reap – Templos de Angkor

O que visitar? Onde ficar? O que priorizar? Estas e tantas outras perguntas surgiram durante a fase de planejamento e como sempre utilizei o VnV – abusei deste post aqui – e guias como o Lonely Planet e o DK Eyewitness para organizarmos as dicas gerais. O ajuste fino, fizemos com perguntas para amigos que estiveram lá bem como conhecidos que moram na região.

Onde estão as famosas ilhas com praias espetaculares na Tailândia como Koh Phi Phi ou Koh Lanta? Vou explorar mais à frente, a idéia era passarmos 4 noites em Phi Phi, mas tivemos que mudar radicalmente nossos planos por conta de uma tempestade.

Vôos:

LH B747-400TG A380

Com tinha muitas milhas pela United, os vôos longos conseguimos com milhas:

Long Haul Flights

Na ida fomos pela Lufthansa (B747-400) e pela Thai (A380) com escala em Frankfurt, enquanto que voltamos com a Asiana (A321 e B777-300ER) com escala em Seoul. Os voos da Thai e da Asiana foram memoráveis e serviços impecáveis.

Os vôos internos seriam desta maneira:

Short 1

Compramos o voo de Bangkok (BKK) para Sukhothai (THS) pela Bangkok Airways que é uma empresa excelente e que dá acesso ao lounge para todos passageiros independentemente da classe de voo, porém o avião que operam nesta rota é um turbo-hélice.

De Sukhothai fomos de ônibus para Chiang Mai. Troquei alguns emails com o hotel que havia reservado em Sukhothai e me informaram que poderíamos comprar quando chegasse em Sukhothai. Fiquei um pouco preocupado em não poder comprar antecipadamente para o horário que queríamos pois estaríamos lá no principal festival da cidade (Loy Krathong), mas felizmente deu certo. Compramos os tickets para o dia seguinte no primeiro horário. Não havia lugares marcados e durante a viagem muitas vezes algumas pessoas foram em pé e o ônibus ia parando em vários locais no trajeto. Recomendo iniciar da estação principal de Sukhothai pois quase não conseguimos sentar juntos (no início não estávamos juntos).

De Chiang Mai para Krabi voamos novamente pela Bangkok Airways com escala em Bangkok, desta vez com dois A320s.

Havíamos reservado o vôo de Phuket (HKT) para Kuala Lumpur (KUL) por milhas da British Airways pela Malaysian Airlines, mas tivemos que cancelar este vôo por conta da tempestade.

A Tempestade:

Por conta do sistema gerado pelo supertufão Hayan, praticamente toda Península da Malásia estava com tempo instável. Nos 3 dias em Ao Nang, pegamos dias nublados com chuvas esparsas, o mar não estava da cor que vemos nos postais, mas ainda assim aproveitamos um pouco. Na manhã em que iríamos para Koh Phi Phi, o dia amanheceu com uma chuva mais intensa e logo cedo o transfer passou em nosso hotel as 8.30AM e seguimos para o Pier onde tomaríamos o Ferry para Phi Phi. Lá ficaríamos 4 noites: uma num sleep-aboard em Phi Phi Leh e as outras 3 no Zeavola no norte de Phi Phi Don.

As 9:30AM, o Ferry saiu mesmo tendo a chuva apertado, mas depois de uns 10 minutos quando estávamos já fora do abrigo natural do pier e quase em “mar aberto” o mar estava bem agitado. Ainda próximo a Railey, uma onda muito forte quase virou nosso Ferry e muitos passageiros ficaram preocupados com a situação. Pouco depois percebemos que a velocidade do Ferry diminuiu consideravelmente para então pararmos no mar em frente a Railey por aproximadamente 10 minutos. O Ferry então voltou ao Pier de Ao Nang onde nos informaram que todos serviços estavam cancelados para aquele dia. Quase nenhuma informação era divulgada e uma fila enorme se formou para as pessoas receberem o voucher do Ferry para que pudessem retornar (ou tentar retornar) no dia seguinte.
Conseguimos obter informação, até então extra oficial de um Thai que resolveu dizer algo que a tempestade havia sido tão forte que um Ferry havia afundado e que muitos outros speedboats e longtails foram completamente destruídos. Depois encontramos noticias na internet aqui e aqui. Mais tarde encontrei vários outros vídeos no Youtube.
Resolvemos voltar para o centro de Ao Nang para algum café com wifi e reavaliar nossas opções. Recebi então um email dizendo que o Sleep Aboard que faríamos naquela noite estava cancelado e que não seria possível remarcar nas próximas 3 semanas (não deixaram claro se foi por problema no barco ou pelas vagas estarem esgotadas) e olhei a previsão do tempo que indicava chuva nos próximos 4 dias. Liguei então para o Hotels.com onde havia feito minha reserva para as outras 3 noites em Phi Phi Don e me informaram que certamente estariam reembolsando USD200 da minha reserva (por ser cliente frequente) e que o resto dependia do Hotel, mas que ninguém estava atendendo no hotel, provavelmente devido a situação que estavam enfrentando.

Com os limões e abacaxis que recebemos neste temporal, resolvemos então fazer um Singapore Sling 😀 e trocamos os próximos 4 dias que teríamos na região por 3 em Singapura. Conseguimos um vôo no mesmo dia de Phuket para Singapura pela TigerAir por um preço bem camarada, mas os hotéis lá que não eram nada baratos comparados aos que estavam planejados, mas com o trauma que tivemos resolvi reservar 3 noites no Pan Pacific Singapore (hotelzaço) e 1 noite no Marina Bay Sands para aproveitar a piscina já que não deu praia.

Trocamos os 4 possíveis dias em Phi Phi por 3 em Singapura e 1 em Kuala Lumpur pois estávamos assustados com o que aconteceu. Além disso a previsão era de tempo ruim e não queríamos mais chuva em praia ou lidar com a possibilidade de ficarmos presos em Phi Phi, e, por conta que no dia seguinte a demanda pelo serviço dos Ferries seria praticamente dobrada e provavelmente traria mais caos à situação. Dois dias depois, já em Singapura fomos informados que o Zeavola (hotel que ficaríamos em Phi Phi) reembolsou toda reserva dado que alguns hóspedes não conseguiram sair ou chegar no dia seguinte, uma pena a situação, mas que tirou qualquer dúvida se havíamos tomado a decisão correta.

Confesso que 9 horas depois de chegarmos ao Pier de Ao Nang de onde partiríamos para Phi Phi, quando fizemos a saída pela imigração na Tailândia uma lágrima saiu do meu olho por não ter conhecido a que muitos dizem ser das praias mais belas do nosso planeta azul, porém a decisão estava tomada.

Tivemos muito azar pois a época já era teoricamente boa para estar na região (final de novembro) e certamente voltaremos um dia para conhecer o Maya Bay. Não quero assustar ninguém, mas acredito que valha a pena ter em mente que os padrões de segurança lá são precários. Não há um “controle central” e os capitães das naus e operadoras de tour que escolhem se vão sair ou não, muitas vezes não levando em conta a segurança dos passageiros.

Nossos vôos internos finais ficaram assim: Short Haul 2

De Kuala Lumpur fomos para Siem Reap pela Air Asia. O terminal internacional de Kuala Lumpur é fantástico, porém o terminal Low Cost é um horror. Chegamos duas horas e meia antes de nosso vôo e em certo momento achei que não conseguiríamos embarcar a tempo, estava pior que o terminal rodoviário da Barra Funda ou Tietê em véspera de feriado.

Hotéis:

Piscina Eastin

Bangkok: ficamos no Eastin Grand Hotel Sathorn em um andar Sky (os mais altos com vistas lindas) e gostamos muito. Ele tem acesso direto ao Sky Train e é próximo ao rio, isto é importante para desviar do trânsito maluco de Bangkok. Destaque para a linda piscina do hotel.

Sukhothai: O Legendha Sukhothai Resort, fica próximo ao Parque histórico e é um belo resort que conseguimos por uma tarifa camarada. Eles alugam bicicletas para explorar o parque. Não gostamos do restaurante dele no entanto.

Chiang Mai: Consegui utilizar alguns Starpoints no Le Meridien Chiang Mai. O Hotel é muito bom e segue o padrão da rede Starwood. A piscina é muito boa e a localização também por estar próximo ao rio e ao centro da cidade. Tirando Doi Suthep, fizemos tudo à pé e eventualmente pegando uns tuk-tuks.

Ao Nang: Nos hospedamos no Vogue Resort & Spa em Ao Nang. Apesar do Resort ser bonito, o barulho que vinha dos bares da frente atrapalharam bastante nosso descanso, eu não vou conseguir escutar Sweet Child O’ Mine por alguns anos :(. Não recomendo o hotel e na verdade não ficaria em Ao Nang numa próxima vez.

Singapura: Não é por acaso que o Pan Pacific Singapore está no topo dos hotéis avaliados no Tripadvisor, é um hotel com aga maiúsculo! A localização é conveniente, os quartos espetaculares e o serviço impecável. Passamos também uma noite no Marina Bay Sands que recomendo somente para aproveitar a piscina, o hotel em si não me impressionou nada.

Marina Bay Sands

Kuala Lumpur: Como nosso vôo sairia muito cedo de Kuala Lumpur, ficamos no Sama-Sama localizado ao lado do aeroporto (inclusive com acesso direto ao terminal internacional). Hotel bom, com serviço ótimo e quarto bastante espaçoso. De lá para o centro de Kuala Lumpur, o trem leva cerca de 30 minutos.

Siem Reap: O The Privilege Floor, foi certamente o hotel que já nos hospedamos com melhor serviço. Fomos tratados como realeza, o quarto é excelente, o restaurante ótimo, o serviço de lavanderia está incluído na tarifa, e para deixar tudo melhor tivemos motorista disponível o tempo todo para explorarmos os templos. Contratamos um guia para 2 dos 3 dias que estivemos por lá e gostamos muito. Angkor é sensacional, fenomenal, simplesmente vá!

Prevenção da Malária e outras doenças:

Consultamos um médico de viagens que nos recomendou tomar a vacina de Febre Tifóide, nos receitou Cipro para se tivéssemos alguma intoxicação alimentar (a co-pilota teve), repelentes mais fortes, e Ambien caso tivessemos problemas para dormir nos vôos (não consigo escrever sem acento :D) longos e por conta do fuso horário. A atenção especial porém ficou para o Malarone que nos foi indicado para a prevenção da Malária, resolvemos fazer o tratamento (que é caro mesmo nos EUA) durante nossa estadia no sudeste asiático. Pessoas que cheguem desde países que tenham caso de Febre Amarela (Hello Brazil) precisam mostrar prova de estarem imunizados.

O site da Centers for Disease Control and Preventions (CDC) dos EUA é bem informativo e tem a lista das atenções necessárias para cada lugar (numa visão americana, talvez exagerada): http://wwwnc.cdc.gov/travel/destinations/list#group-t

Comida e quanto levar de roupa?

Na Tailândia e Malásia a comida é bastante picante (eu adoro, mas a co-pilota não). Recomendo fortemente o Tom Yum e Khao Soi. Vinhos são caros, mas com o calor que faz preferi ficar com a cerveja mesmo e gosto bastante da Chang, que em Thai significa elefante! A comida do Camboja é bem menos picante que a dos vizinhos.

Em Singapura encontra-se de tudo, ela é uma cidade global. Não encontra-se porém guardanados nos restaurantes mais simples e em vendas de rua.

Os preços são muito, muito, muito baratos. Chegamos a comer em Bangkok pelo equivalente a USD5 para duas pessoas (2 Pad Thais mais 2 refrigerantes). Normalmente gastamos entre USD15 e USD25 para ambos com bastante fartura. Em Singapura a comida e tudo é mais caro, afinal é o terceiro país mais rico do mundo, mas ainda assim mais barato que Nova Iorque ou São Paulo.

Lavanderia na Tailândia é muito barata, assim fomos bem “light” com somente uma mala média mais uma mochila para cada um. De tempos em tempos mandávamos a roupa para lavar que sempre ficou pronta para o dia seguinte.

Segue um “preview” de fotos:

Wat ArunPhra PathommachediWat Phra Si Sanphet - AyutthayaWat Phra Mahathat - AyutthayaSukhothaiSukhothaiYeepeng Lanna International - Chiang MaiYee Peng - Chiang MaiChiang MaiChiang MaiPatara Elephant FarmAo NangKho Hong2013 Singapore BiennaleMarina Bay Sands - SingapuraSingapuraGardens by the Bay - SingapuraGardens by the Bay - SingapuraKuala LumpurKuala LumpurAngkor WatTa ProhmAngkor ThomBanteay SreiBanteay Srei

Anúncios

17 respostas em “Tailândia, Singapura, Kuala Lumpur e Siem Reap

  1. Oi Phill, vou pra Siem Reap em junho e gostei da sua dica de hotel, mas queria saber se fica dentro da cidade, onde da pra andar a pe pra jantar fora etc. outra coisa, vc tem o nome do seu guia? Super obrigada.

    • Maryanne

      Nosso guia foi o Somondy (ele pediu para chamá-lo de Dy – Dee). Ele trabalha no próprio hotel e logo percebeu que eu queria fotografar as coisas e sempre nos ajudava com o melhor ângulo e certas vezes pedindo para outros turistas esperarem um momento para tirarmos a foto. Foi também bastante flexível com horários de visitas etc.

      O Privilege Floor é na verdade o andar mais alto do Borey Angkor Resor & Spa que pelo que entendi emprega somente Cambojanos. O Resort está sim localizado no centro de Siem Reap, mas como falei, ficando no Privilege Floor, já na diária você tem um motorista disponível 24 horas por dia que também pode te levar para os mercados, restaurantes, etc. Os Riviews no TA são reais, acredito ser virtualmente impossível não gostar de lá, não é barato no entanto…

      Se precisar de mais alguma informação me avisa.

  2. Oi, Phill… tudo bem contigo?
    Então, depois de acompanhar tuas fotos no instagram estou montando o roteiro de minha viagem para coincidir com o Loi Kratong/Yi Peng e gostaria de uma ajuda tua.
    Pelo que li e entendi, há um evento para turistas (US$ 100,00) e outro público. Certo? Em qual desses você esteve? Quero muito ver/participar do “lançamento das lanternas”.
    A lua cheia desse ano vai ser no dia 06/nov, mas a data da festividade só é divulgada em agosto/setembro. Mesmo assim, estou programando para chegar lá no dia 05 e ficar até dia 09 (03 dias inteiros).
    Acha que é tempo suficiente para conhecer os principais templos (incluindo o Doi Suthep) e fazer day trip p/ White Temple? Se der ainda vou incluir o passeio dos elefantes (ou deixo pra Bangkok. Vou decidir depois).
    Já agradeço antecipadamente as dicas.
    Abraço

    • Fala Thyago!

      Vou explicar no post sobre Chiang Mai melhor, mas vai demorar bastante para chegar lá, assim para ajudá-lo aqui vão algumas dicas:
      Yee Peng/Loy Krathong: o evento dura 3 noites, salvo erro este ano será do dia 6 ao dia 8. Estas datas são fixas e nelas há festivais em várias cidades pela Tailândia. Em Bangkok e Sukhothai é o Loy Krathong, onde as pessoas soltam nos rios pequenos “barcos” decorativos com vela. O festival das luzes em Sukhothai que acontece nesta época é fenomenal. No norte há o Yee Peng onde soltam nas ruas os balões de ar quente, há procissões nas ruas e também soltam alguns krathongs.

      O festival das 10,000 lanternas é um festival não oficial que ocorre na universidade Mae Jo que fica nos suburbios de Chiang Mai e a data não foi divulgada no ano passado até umas 4 semenas antes do evento. Como eu precisava planejar a viagem decidi focar no evento oficial e simplesmente demos sorte de coincidir. É emocionante, porém é um SUPER perrengue para chegar, para sair (demoramos umas 2 horas) e o lançamento das lanternas é super rápido. Mas valeu muito à pena termos ido. Neste site (http://festivalasia.net/festivals/Yi-Peng-2014–Lantern-Festival-.html) está dizendo que a data é 6 de novembro mas confirme com seu hotel. Nós reservamos com o hotel um taxi particular – uns $65 – para nos levar e nos trazer do evento, mas muita gente vai na raça mesmo de tuktuk ou RedCar, saímos do hotel por volta das 4PM e voltamos para Chiang Mai umas 11:30PM.

      Quanto ao tempo, Se você está indo durante as festividades, eu ficaria o tempo todo em Chiang Mai e deixaria Chiang Rai (e o templo Branco) para uma próxima). Vários outros templos tem lindas celebrações e há muitos templos na cidade, as massagens são ótimas, os restaurantes são excepcionais e tudo anda num ritmo bem mais lento que Bangkok. Nós ficamos 3 dias e meio (4 noites) sendo que um dos dias foi para visitar a Patara Elephant Farm, que também recomendo muito.

      Difícil as escolhas, não?

      • Bem difícil hehehe

        Mas devo fazer dessa forma mesmo: reservar de 05 a 09/nov p/ Chiang Mai. Pra falar a verdade, nem contava com o evento na Mae Jo University, justamente por ter lido que ele normalmente acontece antes das datas oficiais.

        Mais uma vez, obrigado, Phil.

    • Oi Thyago! Tbm estou tentando descobrir exatamente qual será o dia do lançamento na universidade de Mae Jo. Li em algum fórum internacional que seria no sábado seguinte ao dia 6, ou seja, dia 8.
      Eu e meu marido pretendemos ficar dos dias 6 a 9, mas estou tentaaaando não criar muitas expectativas. Pelo menos vai dar para ver as outras festividades nesse tempo.
      Se por acaso descobrir, me avise poe favor!
      Abs!

      • Olá, Erica…

        Se realmente for nessa data que você viu será excelente.

        Uma pena que tive que adiar minha ida pro Sudeste Asiático p/ o próximo ano. Minhas companhias desistiram e já marquei outra viagem pra esse período.

        Abs.

  3. Oi Thiago
    Estou indo com meu filho, minha nora e minha neta para Bangkok no dia seis de dezembro e dia quinze em Siem Reap, dia 23 Ilha Ko Phi Phi. Estou muito ansiosa, porque para mim e um sonho ir para a Asia. Adorei suas dicas e gostaria de saber o que voce achou do roteiro e se tem algum
    lugar legal que voce indicaria.
    Continue nos orientando
    Beijos
    Vovo Rogeria

  4. Boa noite! Td bem? Nossa, sensacional tudo! Vocês trabalham fazendo roteiro de viagem/cronograma? Vamos casar em setembro de 2016 e gostaríamos de passar nossa lual de mel na Tailândia! Um sonho seria poder acompanhar o festival de lanternas (Yi Peng, é isso?) e conhecer o que for possível dentro do prazo que pretendemos ficar lá (e por quanto o dinheiro der rsrs). Agradeço qualquer orientação! Estamos planejando. Nunca fomos e não conhecemos quase nada. Obrigada!

    • Laisa, ja’ ajudei alguns amigos e familiares com roteiros, mas nao trabalho com isto. Setembro normalmente ainda e’ periodo de chuvas nas praias do mar de Andaman. Alem disso o Yi Peng;Loy Krathong de 2016 deve cair em meados de Novembro (na lua cheia).

  5. ola seu itinerario saindo de sao paulo qual companhia aerea vc foi: estamos querendo ir primeira semana de marco poderia nos ajudar

    • Eliane, de Sao Paulo vc pode chegar ate’ o sudeste Asiatico (depende obviamente de onde quer ir) pela Turkish, Etihad, Emirates, Qatar, Lufthansa, British, Swiss Airways, que sao todas boas empresas, eu gosto muito da Turkish.

  6. Olá
    Estava navegando pelo VnV e achei o seu relato. Lamento sobre a tempestade =/. Ficarei 21 dias completos pela Tailândia e estou cogitando conhecer Camboja. Quantos dias você ficou em cada lugar? Já li que Bangkok, Chiang Mai, Krabi e Koh Phi Phi são os básicos para conhecer. Vou em março.16. Obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s