Fernando de Noronha

Fernando de Noronha é dos destinos mais desejados do Brasil. A ilha de praias que nos deixam sem palavras é o paraíso com sabor brasileiro, aquele que a beleza natural se encontra com o calor humano brasileiro, simplesmente possível não se apaixonar.

Dicas? Quase todas estão aqui, o Viaje na Viagem já deixou este destino incrível “mastigado” para quem quiser explorar de forma independente e recomendo a leitura (algumas vezes) deste post aqui que é quase que um guia definitivo das praias de lá sem fazer o famoso “ilhatour”.

A forma mais econômica que conseguimos as passagens foi ir pela Azul (Viracopos-Recife-Fernando de Noronha) e voltar pela Gol (Fernando de Noronha-Recife-Guarulhos). A Azul opera um Embraer E95 (jato) no trecho REC-FEN. A chegada em Noronha já mostrou o potencial da ilha. 😀

DSC02916

Primeira tarde:

Pagamos todas taxas antes de chegar (leia aqui para entender as “pegadinhas” da chegada), assim saímos logo e fomos para nossa pousada (comentarei sobre as pousadas no final) deixar nossas malas para logo irmos à Praia da Conceição para aproveitar nossa primeira tarde em Noronha:

DSC02946 DSC02964 DSC02997

Primeiro dia:

Logo pela manhã fui mergulhar (scuba) com a Atlantis enquanto a co-pilota ficou na pousada para uma massagem. Foram 2 mergulhos bastantes tranquilos (Cagarras Fundas e Ilha do Meio) que eu pessoalmente classificaria como médios (dificuldade e vida marinha), mas qualquer dia mergulhando ou pedalando é um dia bom (ou como dizem aqui nos EUA “there is no bad dive”). 😉

DSC03001DSC03007AAN_8206 - editadaAAN_8230 - editada

Depois de almoçarmos, fomos conhecer a Praia do Leão, onde caminhamos um pouco:

DSC03062DSC03071

Após a praia do Leão, fomos até a Praia do Sueste pois era uma segunda-feira e planejamos ver a captura intencional da tartaruga marinha realizada por biólogos do projeto Tamar.

DSC03030DSC03031

As tartarugas se concentram no Sueste para se alimentarem das algas que estão no fundo da praia. Os biólogos às capturam para medi-las estudando assim o seu desenvolvimento, explicam os padrões migratórios além de outras curiosidades destes lindos animais:

DSC03093DSC03113DSC03128DSC03099

Depois foi hora de explorar a praia fazendo snorkeling, as águas do Sueste não são ultra cristalinas por conta das algas, mas as mesmas fazem com que o encontro com tartarugas seja quase que certo (possibilidade de encontrar pequenos tubarões também :D):

DSC03086DSC03149DSC03177DSC03259

Segundo dia:

Tomamos o café da manhã o mais cedo possível e chegamos antes das 9 da manhã na maior vedete de Noronha a Baia do Sancho:

Sancho

Ela é tão bonita quanto dizem, o título de “praia mais bonita do mundo” ficaria bastante adequado à esta praia. Os vários tons de verde e azul são de fazer o queixo cair e a água cristalina proporciona oportunidades de alguns encontros interessantes com a vida marinha:

DSC03338DSC03355DSC03365DSC03398DSC03390DSC03391

Depois de algumas horas nesta magnífica praia, subimos a famosa escada que leva até o mirante para mais uma foto (agora com mais gente e alguns barcos):

Sancho

De lá, após uma caminhada curta chegamos no outro cartão postal de Noronha o Morro Dois Irmãos:

Dois IrmãosDois Irmãos e Pico

Depois de tanta beleza fomos almoçar para depois aproveitar a Baía dos Porcos e a praia Cacimba do Padre onde ficamos pela tarde até o sol se por.

DSC03512DSC03531DSC03551DSC03574DSC03617

Terceiro dia:

Fizemos um passeio de barco Trovão dos Mares,  que vai do Porto de Santo Antônio até a Ponta da Sapata no extremo sul da ilha. No caminho pudemos ver golfinhos próximos à Ilha do Meio e mais tarde na baía dos golfinhos.

DSC03638  DSC03677

Logo antes do almoço paramos no Sancho para snorkeling, aqui quase perdi minha GoPro que começou a inundar de água mas felizmente à tempo conseguimos salvá-la e ainda está firme e forte operando.

DSC03754DSC03765

Muito interessante quando passamos por trás do Morro Dois Irmãos e pudemos ver de perto as formações vulcânicas de ambos!

DSC03857DSC03859No final fizemos o prancha sub que foi extremamente divertido. Vimos bastante vida marinha e para quem não mergulha é uma oportunidade ótima para ter uma pequena idéia de como é estar lá embaixo d’água, mas é necessário fazer a compensação do ouvido também, ou seja, mesmos cuidados que teria com scuba.

DSC03904

Quarto dia: 

No quarto dia tivemos a manhã de mergulhos, eu fui com a Atlantis mergulhar na Laje Dois Irmãos e depois e Cabritas enquanto que a co-pilota foi fazer o Batismo com o Bodão da Mar de Noronha. Recomendo muito o Bodão e equipe para quem quer ter uma primeira experiência no fundo do mar, são pacientes, profissionais e o mais importante: cuidadosos.

_ZAM4222 - editada DCIM100GOPRO

Depois do Almoço fomos fazer a trilha curta da Praia do Atalaia. Marcamos este passeio logo no segundo dia pois o ingresso é controlado e limitado e o passeio depende da maré pois as piscinas naturais podem ser visitadas somente na maré baixa. Imperdível!

DSC03969DSC03976DSC04006DSC04018DSC04044

Terminando a Trilha do Atalaia fomos visitar o Atelier do artista Rock Lima (casado com a que é possivelmente a melhor chef de cozinha da ilha – explicações depois) que fica no Air France:

DSC04108DSC04114

E aproveitamos para ver nosso último por-do-sol na ilha:

DSC04125

Última manhã:

Nosso vôo saiu as 15:35, assim teríamos um tempo razoável para explorar um pouco mais a ilha, resolvemos passar um tempo mais na Baia do Sancho e observando o Morro dois Irmãos e fomos depois até o Sueste para fazer um pouco mais de snorkeling. 

DSC04179DSC04182DSC04187

E infelizmente o inevitável, a hora de ir embora: 😦

DSC04239DSC04245

Dicas:

Buggy:

Como tivemos somente 5 dias inteiros (contando a tarde da chegada e a manhã da saída) resolvemos alugar um Buggy – Bugre para alguns – para termos liberdade de explorar a ilha de forma rápida. Gasolina é bem cara e normalmente o buggy é entregue com tanque quase vazio, há gente que recomende carregar uma garrafa Pet com gasolina dentro para não se gastar muito mais que o necessário.

DSC03018DSC03963

Mergulhos:

Levamos nosso equipamento de snorkeling, mas para os que tem o resto (BCD, reguladores, etc) recomendo também o esforço de levar tudo. Mergulhei 5 vezes com a Atlantis (2 manhãs e 1 noturno) e fiquei ligeiramente decepcionado com a falta de atividade pelágica (peixes grandes – leia-se tubarões 🙂 ) mas ainda assim valeu a pena. Conforme relatado acima para um batismo tranquilo recomendo a Mar de Noronha pois já sai da praia e pelo profissionalismo deles.

Pousadas:

Dividimos nossa estadia em duas pousadas:

1) Pousada Mar Aberto: pousada bacana com quarto e banheiro espaçoso, decoração de bom gosto, café da manhã muito bom e limpa. Serviço muito cordial.

DSC03490DSC03493

2) Pousada Beco de Noronha: um charme, quartos muito bonitos, banheiro amplo, café da manhã bom e serviço de primeira. O guru das viagens recomendou aqui.

DSC03624

Restaurantes:

Com cinco dias obviamente não conseguimos comer em todos da ilha, mas tivemos alguns que fomos e gostamos muito, entre eles, O Xica da Silva que fica e o Mergulhão. Mas os grandes destaques foram os seguintes:

1) Varanda: O Bobó de Lagosta é fenomenal, o arroz de coco e a farofa que acompanham divinos. Fomos lá 3 vezes (um jantar e dois almoços) e gostamos muito de todas as vezes que lá estivemos. A dica é pedir uma entrada e dividir o prato principal que achamos grande para uma pessoa

DSC04235DSC04236

2) Mesa da Ana: quem teve paciência de ler até aqui será premiado. Este “restaurante” é a maior preciosidade gastronômica de Noronha da atualidade. A Chef Ana (que estudou no Le Cordon Bleu em Paris) e seu marido o Rock (o mesmo do atelier acima) recebem durante os dias da semana 10 sortudos para jantarem, basicamente na casa deles.

A Ana prepara a comida com o máximo possível de ingredientes locais e da própria horta deles (ela estava na época criando uns patos que iriam entrar no menu) enquanto o Rock fazia o papel de garçon, DJ, e “enterteiner”. Não somente as histórias que o Rock contava eram hilárias, mas também a risada dele, todos rimos demais naquela noite.

Pouco mais de 3 horas de jantar, ficamos com o sentimento de sermos amigos de ambos pela receptividade calorosa, as conversas incríveis e a comida excepcional.

Tente reservar com bastante antecedência, pois conforme relatado toda noite de semana somente 10 pessoas terão o prazer de viver esta experiência e eles disseram que não pretendem expandir as atividades para não perder este toque especial.

DSC03933DSC03938DSC03948DSC03957

Noronha é uma ilha paradisíaca com o toque especial do povo brasileiro! Quero voltar para lá… Ontem…

Anúncios

4 respostas em “Fernando de Noronha

  1. Primeiramente parabéns pelo blog, conheço a pouco tempo mas acompanho direto;

    Estou indo para Noronha no carnaval e está post veio em boa hora rs

    Tenho algumas perguntas será que você pode me ajudar?

    – A sua viagem foi agora em janeiro? Como estão as ondas por lá? O Swell tem deixado o mar muito ruim?

    – Você tem o contato (e-mail) do restaurante da Ana? Gostaria de reservar, fiquei muito interessada.

    Obrigada

    Dani Bispo
    Comer e Coçar é Só Começar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s