Xi’an (西安)

Muitos passam por Xi’an (西安) para exclusivamente ver o Exército de Terracota, que sem dúvida foi o principal motivo de termos ido para lá, porém, esta cidade com cerca de 8.7 milhões de habitantes – 13.5 milhões na região metropolitana – mais de 3 mil anos de história e que já foi capital do China conta com muitas atrações interessantes. Tivemos que priorizar por conta do pouco tempo que tínhamos e não conseguimos infelizmente ver todos os lugares que gostaríamos.

Muslim Quarter

Cores, cheiros, sabores e muita, muita gente e certa confusão! O Muslim Quarter é relativamente compacto com vários restaurantes e lojas de souvenires. Gostamos muito de andar por lá, ver algumas curiosidades culinárias e da confusão. Há comidas de todos tipos e provamos algumas coisas mais “conservadoras”.

 

Great Mosque

Xi’an foi a primeira cidade na China onde o islamismo foi introduzido quando o imperador Gaozong da dinastia Tang permitiu em 651AD a pratica da religião. Hoje a Grande Mesquita de Xi’an é a maior mesquita da China (com 12 mil metros quadrados de área), é um mar de paz no Muslim Quarter e extremamente fascinante por misturar arquitetura Chinesa com a Islâmica.

 

Drum Tower e Bell Tower

Localizadas bem próximas do Muslim Quarter ambas torres contam com performances em vários horários do dia, assistimos em ambos e éramos dos poucos ocidentais! A Torre do Tambor conta com vários tambores na fechada e um enorme em seu interior que era tocado ao por-do-sol para indicar o final do dia, enquanto que o sino da Torre do Sino era tocado ao nascer do sol.

 


Xi’an City Walls

A linda muralha medieval de Xi’an é das poucas que ainda estão inteiramente preservadas. Ela foi construída em 1370 na dinastia Ming, tem 12m de altura e na sua totalidade 14km. Alugamos bicicletas e fizemos a volta completa em cerca de 1:45h.

Por conta da poluição neste dia não vimos o sol, o que tornou o ambiente num gigantesco white box, às vezes até bonito para as fotografias tanto de dia quanto de noite.

 

 

Exército de Terracota

Para visitar o incrível Exército de Terracota, contratamos junto ao nosso hotel um taxi e chegamos quando os portões abriram. Quando chegamos na entrada do complexo havia uma guia nos esperando, que dispensamos, pois todos diziam que fariam a visita em 1 hora e meia e sabíamos que era pouco para o que queríamos ver.

Uma das estratégias de visita recomendada é de começar pelo Poço 3 que é o menor, depois ir ao Poço 2 e finalmente terminar pelo Poço 1 que contém a maior concentração de guerreiros e cavalos. Estávamos num feriado nacional e sabíamos que depois de algum tempo o complexo ficaria cheio, assim resolvemos pelo Poço 1

Poço 1:

Na primeira passagem pelo poço 1 levamos cerca de 1 hora e meia. Mesmo perdendo certos detalhes históricos que os guias dariam além dos livros que tínhamos, realmente como queríamos apreciar os detalhes fizemos certo em irmos sozinhos.

 

Poço 3

Visitamos o Poço 3, que apesar de ser o menor deles, acredita-se que era o quartel general por conter guerreiros de ranking maior

 

Poço 2

O poço 2 contém cerca de 1300 guerreiros, mas o destaque está para alguns que estão em exibição e pode-se observar o quão detalhados eles são. Há também um museu que entre as preciosidades estão algumas carruagens, mas que a iluminação dificulta fotos.

Poço 1

Voltamos ao poço 1 e o local estava praticamente uma batalha de selfie-sticks! No total ficamos cerca de 3 horas e meia visitando este patrimônio da humanidade!

 

Ficamos 1 dia líquido em Xi’an e foi pouco pois não conseguimos visitar as pagodas mais ao sul da cidade, o Templo dos Oito Imortais, O Shaanxi History Museum e o Túmulo de Imperador Jingi. A poluição que pegamos na cidade também atrapalhou um bocado e percebemos estar bem cansados por conta dela. O trânsito da cidade é bastante pesado, nos pareceu pior que em Beijing, assim também não arriscamos ao ir para o aeroporto e chegamos com bastante tempo de antecedência.

Passamos uma noite no Grand Mercure, Hotel que fica num antigo complexo de arquitetura soviética, com quarto ok, banheiro espartano e café da manhã justo. No mesmo complexo há outros hotéis da Accor e no Sofitel há uma churrascaria Brasileira, onde a estava picanha saborosa e os Chineses ficaram loucos quando dissemos que somos do Brazil (Baxi) e não pararam de trazer picanha !!! – Foi o momento “home sick” da viagem . Almoçamos no restaurante Cantonês Chinois no Sofitel que também gostamos muito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s